Nesta quarta-feira, Santo Padre deu continuidade ao ciclo de catequeses sobre a Santa Missa

Foto: Reprodução youtube Vatican NewsFoto: Reprodução youtube Vatican NewsO canto do “Glória” e a oração coleta, partes dos ritos iniciais da Missa, foram os temas abordados pelo Papa Francisco na catequese desta quarta-feira, 10. O encontro foi realizado na Sala Paulo VI, devido ao frio intenso em Roma nessa época do ano, e deu continuidade ao ciclo de catequeses sobre a Santa Missa.

A última catequese foi dedicada ao ato penitencial. Hoje, Francisco pontuou que é justamente do encontro entre a miséria humana e a misericórdia divina que toma vida a gratidão expressa no “Glória”, um canto antigo com o qual a Igreja glorifica a Deus. O Santo Padre explicou que o início do hino – “Glória a Deus nos altos céus” – retoma o canto dos anjos no nascimento de Jesus em Belém, o alegre anúncio do abraço entre o céu e a terra.

Sobre a oração coleta, realizada após o Glória ou logo depois do ato penitencial (quando não há o Glória), o Papa explicou que com o convite “oremos”, o padre exorta o povo a recolher-se com ele em um momento de silêncio. O objetivo é ter consciência de estar na presença de Deus e fazer emergir no coração de cada um as intenções pessoais para a Missa, aquilo que cada um deseja pedir.

Mas o silêncio não se reduz à ausência de palavras, observou o Papa, e sim dispor-se a ouvir outras vozes, como a voz do coração e, sobretudo, a voz do Espírito Santo. Nesse ponto da catequese, o Papa explicou que, na liturgia, a natureza do silêncio depende do momento em que ele ocorre, podendo ajudar o recolhimento (durante o ato penitencial e após o convite à oração), ser um chamado à meditação (após as leituras ou a homilia) ou favorecer a oração interior de louvor e súplica (após a Comunhão).

Talvez as pessoas tenham dias difíceis e querem invocar a ajuda de Deus, confiar a Ele o futuro da Igreja e do mundo, observou o Papa, e para isso serve esse breve silêncio antes que o sacerdote, recolhendo as intenções de cada um, faça a comum oração que conclui os ritos iniciais, fazendo a “coleta” das intenções individuais.

“Recomendo vivamente aos sacerdotes observar esse momento de silêncio e não ir com pressa: ‘oremos’, e que se faça o silêncio. Recomento isso aos sacerdotes. Sem esse silêncio, corremos o risco de negligenciar o recolhimento da alma”.

Francisco conclui a catequese dizendo que, no Rito Romano, as orações são concisas, mas ricas em significado, e considerou que meditar os textos, também fora da Missa, pode ajudar a aprender como se dirigir a Deus, o que pedir, quais palavras usar. “Possa a liturgia se tornar para todos nós uma verdadeira escola de oração”.

Da Redação, com Boletim da Santa Sé

Fonte: Canção Nova

Foto: KDdesignphoto I Shutterstock

Como transformar 5 fraquezas comuns em pontos fortes

Ago 23, 2018
Você não elimina um mau hábito ou tendência – você trabalha para transformá-lo O…
34

Papa escreve ao teólogo Walford: a Amoris Laetitia deve ser lida na íntegra

Ago 23, 2018
Carta do Papa a Stephen Walford teólogo e pai da família como agradecimento por sua…
32

Paróquia Senhora Sant’Ana celebra Semana Nacional da Família

Ago 22, 2018
Com novenas e celebrações nos setores e comunidades, a Paróquia Senhora Sant’Ana celebrou…
44

Abusos na Igreja: a carta do Papa aos fiéis

Ago 21, 2018
Francisco escreveu uma carta a todo o Povo de Deus para falar da "vergonha" provocada…
20
Foto: Wesley Almeida / cancaonova.com

Como discernir o que é sinal de Deus?

Ago 21, 2018
É necessário ter cuidado e discernir sinceramente se estamos diante do que é um…
21

O poder da bênção de um padre

Ago 21, 2018
Um gesto simples que pode trazer graças especiais para a sua vida Em toda Santa Missa…
36

Dublin. Papa Francisco: rezemos por todas as famílias do mundo

Ago 21, 2018
Tuíte do Papa Francisco para o Encontro Mundial das Famílias que começa hoje em Dublin.…
21

Encontro Mundial das Famílias começa hoje em Dublin

Ago 21, 2018
Cerimônia de abertura será realizada simultaneamente em todas as dioceses da Irlanda.…
26