Uma tradição judaica daquele tempo nos revelaria a mensagem arrepiante representada por esse gesto aparentemente insignificante

O Evangelho segundo São João, no capítulo 20, nos fala de um lenço que tinha sido colocado sobre a Face de Jesus quando Ele foi sepultado, ao final da tarde da Sexta-Feira Santa.

Ocorre que, após a Ressurreição, quando o sepulcro foi encontrado vazio, esse lenço não estava caído a um lado, como os lençóis que tinham envolvido o Corpo de Jesus. O Evangelho reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado à cabeceira do túmulo de pedra.

Mas por que Jesus dobrou o lenço que cobria a Sua cabeça no sepulcro depois de ressuscitar?

Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena foi até o local e descobriu que a pesadíssima pedra que bloqueava a entrada do sepulcro tinha sido removida. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele a quem Jesus tanto amara – São João Evangelista – e lhes disse:

“Retiraram o Corpo do Senhor e não sei para onde O levaram!”

Pedro e o outro discípulo correram até o túmulo. João passou à frente de Pedro e chegou primeiro. Parou e observou os lençóis, mas não entrou. Então Simão Pedro chegou, entrou no sepulcro e notou os lençóis ali deixados, enquanto o lenço que havia coberto a Divina Face estava dobrado e colocado a um lado.

Isto é importante? Definitivamente.

Isto é significativo? Sim.

Por quê?

Para poder entender a significância do lenço dobrado, temos que entender um pouco a respeito da tradição hebraica da época.

O lenço dobrado tem a ver com uma dinâmica diária entre o amo e o servo – e todo menino judeu conhecia bem essa dinâmica. O servo, quando preparava a mesa de jantar para o amo, procurava ter a certeza de fazê-lo exatamente da maneira desejada pelo seu senhor.

Depois que a mesa era preparada, o servo ficava esperando fora da visão do amo até que ele terminasse a refeição. O servo não se atreveria jamais a tocar na mesa antes que o amo tivesse acabado. Ao terminar, o amo se levantaria, limparia os dedos, a boca e a barba, embolaria o lenço e o jogaria sobre a mesa. O lenço embolado queria dizer: “Eu terminei“.

Agora, se o amo se levantasse e deixasse o lenço dobrado ao lado do prato, o servo não ousaria tocar ainda na mesa, porque aquele lenço dobrado queria dizer: “Eu voltarei!”

___________
Adaptado de excerto do livro “Histórias e parábolas para a família“, do pe. Chrystian Shankar


Fonte: Aleteia

“Que a Copa do Mundo seja sempre festa de congraçamento!”, diz arcebispo de Florianópolis

Jul 02, 2018
O assunto que está mobilizando as atenções do mundo todo é a Copa do Mundo de Futebol. No…
19

Peregrinação a Bari: Papa pede orações por iniciativa de paz pelo Oriente Médio

Jul 02, 2018
Uma iniciativa em favor da paz no Oriente Médio que envolverá lideranças cristã de…
16
Default Image

Programação da Festa de Senhora Sant’Ana 2018

Jul 02, 2018
Dia 16 (Segunda-feira) - Abertura Oficial da Festa 5:00h - Queima de fogos nos…
226

Bispos definem o processo de atualização das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil

Jun 20, 2018
Parte da manhã do segundo dia de reunião do Conselho Permanente da Conferência Nacional…
44
papa o mundo tem necessidade

Papa: o mundo tem necessidade de cristãos com coração de filhos

Jun 20, 2018
"Deus me impõe as coisas ou cuida de mim? Os seus mandamentos são somente uma lei ou…
30

Correção sobre o caso Grabois-Lula

Jun 13, 2018
Corrigindo um nosso serviço precedente sobre o caso Grabois-Lula, devemos ressaltar que…
35
premios cnbb

CNBB divulga lista de finalistas de cada categoria dos Prêmios de Comunicação edição 2018

Jun 13, 2018
Dom Darci José Nicioli, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação,…
28

Papa propõe uma 'sã inquietude' para os jovens

Jun 13, 2018
Nesta quarta-feira (13/06), o Papa Francisco se reuniu com fiéis, turistas e romanos na…
27