Papa Francisco adverte sobre um perigo para a fé dos cristãos

Oliveira

O Papa Francisco alertou sobre o perigo de “perder a consciência do pecado” que leva o cristão a não encontrar a necessidade de se confessar.

O Pontífice, em sua homilia pronunciada durante a Missa celebrada nesta sexta-feira, 17 de janeiro, na Casa Santa Marta, comentou o fragmento do Evangelho de São Marcos, o qual conta como Jesus cura um paralítico em Cafarnaum, onde pregava a uma multidão, depois que os amigos do doente o desceram em uma maca através de um buraco no teto da casa, pois era impossível acessá-lo pela porta bloqueada por pessoas.

Francisco quis destacar como, diante da intriga do povo em ver Jesus operar o milagre da cura, Ele surpreende curando os enfermos de outra maneira: “Filho, os teus pecados estão perdoados”. Só depois ele curará o paralítico.

Jesus “olha para o paralítico e diz: ‘Os teus pecados estão perdoados’. A cura física é um dom, a saúde física é um dom que devemos proteger. Mas o Senhor nos ensina que devemos também preservar a saúde do coração, a saúde espiritual”.

O Papa assinalou que “Jesus vai ao essencial” e isso causa escândalo. “Quando Jesus vai ao essencial, escandaliza-se, porque ali está a profecia, ali está a força”.

“O essencial é a relação com Deus. E nós muitas vezes nos esquecemos disto, como se tivéssemos medo de ir propriamente ali, onde há o encontro com o Senhor, com Deus”.

“Aqui tem uma palavra de Jesus que talvez nos ajudará: ‘Filho, os teus pecados estão perdoados’. Estamos acostumados a pensar neste remédio do perdão dos nossos pecados, dos nossos erros? Nós nos perguntamos: ‘Eu devo pedir perdão a Deus por alguma coisa?’. ‘Sim, sim, sim, em geral todos somos pecadores’, e assim a coisa se dilui e perde a força, esta força de profecia que Jesus faz quando vai ao essencial. E hoje Jesus, a cada um de nós, nos diz: ‘Eu quero perdoar os teus pecados’”.

O Papa Francisco concluiu: “O essencial é a saúde, toda: do corpo e da alma. Devemos preservar bem a do corpo, mas também a saúde da alma. E devemos ir àquele médico que pode nos curar, que pode perdoar os pecados. Jesus veio para isto, deu a vida por isto”.

A seguir, o Evangelho comentado pelo Papa Francisco:

Marcos 2,1-12

1Alguns dias depois, Jesus entrou de novo em Cafarnaum. Logo se espalhou a notícia de que ele estava em casa. 2Reuniram-se ali tantas pessoas, que já não havia lugar, nem mesmo diante da porta. E Jesus anunciava-lhes a Palavra.

3Trouxeram-lhe, então, um paralítico, carregado por quatro homens. 4Mas não conseguindo chegar até Jesus, por causa da multidão, abriram então o teto, bem em cima do lugar onde ele se encontrava. Por essa abertura desceram a cama em que o paralítico estava deitado. 5Quando viu a fé daqueles homens, Jesus disse ao paralítico: “Filho, os teus pecados estão perdoados”. 6Ora, alguns mestres da Lei, que estavam ali sentados, refletiam em seus corações: 7“Como este homem pode falar assim? Ele está blasfemando: ninguém pode perdoar pecados, a não ser Deus”.

8Jesus percebeu logo o que eles estavam pensando no seu íntimo, e disse: “Por que pensais assim em vossos corações? 9O que é mais fácil: dizer ao paralítico: ‘Os teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘Levanta-te, pega a tua cama e anda’?

10Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem, na terra, poder de perdoar pecados, — disse ele ao paralítico: 11eu te ordeno: levanta-te, pega tua cama, e vai para tua casa!”

12O paralítico então se levantou e, carregando a sua cama, saiu diante de todos. E ficaram todos admirados e louvavam a Deus, dizendo: “Nunca vimos uma coisa assim”.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

Fonte: ACI Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Papa: não se paga para se tornar cristão. É um dom do Senhor

Não é cristão buscar influências para crescer na carreira eclesiástica: foi o que destacou o Papa na homilia da missa na capela da Casa Santa Marta, recordando a gratuidade da eleição de Deus e o chamado para preservá-la com a nossa fidelidade. Debora Donnini – Cidade do Vaticano Ser cristãos, […]